>

21/02/2019

Concurso da PRF é temporariamente suspenso. Saiba mais

Destinado a preencher 500 vagas, o concurso da PRF 2019 (Polícia Rodoviária Federal) está temporariamente suspenso, anunciou nessa quarta-feira (20) o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), banca que organiza a seleção.

Em nota, a empresa examinadora esclarece que a suspensão atende determinação de ação popular em tramitação na 2ª Vara Federal da Justiça do Ceará. O pedido em questão (disponível para consulta entre os anexos da notícia) propõe que as fases do processo seletivo ocorram em todas as capitais do país, e não apenas na cidade para lotação escolhida por cada candidato.

Autor da ação popular 0819751-78.2018.4.05.8100, o advogado Gustato Brigido Bezerra Cardoso solicita que um novo edital seja publicado para permitir que “os candidatos possam fazer todas as fases do certame em quaisquer das capitais brasileiras”.

Ao deferir parcialmente o pedido de tutela, o juiz Jorge Luís Girão Barreto afirma que “não há razoabilidade na regra que impõem aos candidatos a realização das provas no mesmo local em que desejam concorrer à vaga”.

Na decisão, o magistrado determina que o Cespe reabra o prazo do concurso, “a fim de que os candidatos possam optar pela realização do certame em quaisquer das cidades em que haverá aplicação das provas, independentemente do local para o qual escolheram concorrer à vaga”.

O Cespe, no entanto, sinaliza a continuidade da seleção. No comunicado divulgado ontem (20), assinado pelo diretor-geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, Adriano Marcos Furtado, a banca informa que os resultados das provas objetiva e discursiva, aplicadas em 3 de fevereiro, serão divulgados em data oportuna.

Ao todo, o concurso da PRF registrou 129.152 inscrições em todo o país, sendo que os Estados que atraíram mais candidatos foram Pará, com 12.700; Goiás, com 12.605; e Rio Grande do Sul, com 11.559 inscritos.

Próximas etapas

As outras fases do concurso PRF abrangem exame de capacidade física, avaliações de saúde e psicológica, análise de títulos, investigação social e curso de formação.

Válido pela última etapa, o curso de formação é realizado na Academia Nacional da Polícia Rodoviária Federal, em Florianópolis, capital de Santa Catarina.

Durante o treinamento, que tem duração média de três meses, os agentes acompanham aulas sobre condução veicular policial; educação e segurança no trânsito; policiamento e fiscalização; direitos humanos e cidadania; técnicas de abordagem; ética, postura profissional e atendimento ao público; entre outras disciplinas.

Sobre o concurso

Destinado a preencher 500 vagas de policial rodoviário, o processo seletivo encerrou inscrições em 18 de dezembro. A taxa de participação custou R$ 150.

As oportunidades estão distribuídas entre os Estados do Acre (17 postos), Amapá (23), Amazonas (28), Bahia (17), Goiás (27), Maranhão (18), Mato Grosso (57), Mato Grosso do Sul (35), Minas Gerais (9), Pará (81), Piauí (22), Rio de Janeiro (10), Rio Grande do Sul (23), Rondônia (74), Roraima (15), São Paulo (19) e Tocantins (25).

Concorrem ao cargo de policial rodoviário candidatos com curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.

Quanto ganha um policial rodoviário federal?

A remuneração inicial é de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, de acordo com a lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016, os servidores contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.

O que faz o policial rodoviário federal

Cabe ao servidor do cargo realizar atividades de natureza policial
envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições relacionadas com a área operacional da Polícia Rodoviária Federal.

Fonte: JC Concursos
Tags:

Mensagem enviada com sucesso