>

10/01/2017

IBGE: edital com mais 82 mil vagas sairá até abril.

O plano do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é, até o próximo mês, solicitar ao Ministério do Planejamento em torno de 82.050 vagas temporárias com vistas ao concurso IBGE 2017, para o Censo Agropecuário. A informação foi dada, com exclusividade à FOLHA DIRIGIDA, pelo coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros, adiantando que todas as vagas deverão ser concentradas em um edital.

Autorização não deverá demorar e edital pode sair em abril

“Considerando que o presidente do IBGE, Paulo Rabello de Castro, quer, já em setembro, iniciar as coletas para o censo, em março já precisamos estar com a organizadora contratada. Por isso, a nossa previsão é solicitar as vagas até fevereiro”, esclareceu Malheiros. A autorização do Planejamento não deverá demorar, já que, segundo o presidente do IBGE, Paulo Rabello de Castro, a própria pasta já informou que “há verba para fazer o Censo andar”. Tal planejamento aponta, portanto, para a divulgação do edital neste semestre (especialistas acreditam que isso poderá ocorrer já em abril), tornando viável a aplicação das provas e o treinamento dos selecionados antes de setembro, quando será iniciada a coleta de dados.

Veja o planejamento do IBGE para o concurso previsto

Fevereiro – Encaminhar pedido de vagas
Março – Elaborar projeto básico e contratar organizadora
Setembro – Iniciar as coletas para o censo

Malheiros justificou porque as vagas serão concentradas em um edital. “No concurso cancelado, teríamos três editais porque eram três previsões de admissão. Como agora há uma previsão, deverá ser um edital.” Das 82.050 vagas previstas, 62.400 são para recenseador (nível fundamental e cerca de R$3 mil – varia por pesquisas). No nível médio, estão previstas 12.540 vagas para agente censitário supervisor (R$2 mil), 5.500 para agente censitário municipal (R$ 2 mil), 700 para agente censitário administrativo (R$ 2.018) e 486 para agente censitário regional (carteira de habilitação; R$ 3.458). Estão previstas ainda 174 vagas de agente censitário de informática (médio/técnico e R$2 mil). No superior estão previstas 250 vagas de analista censitário (R$ 7.624).

Coordenador de RH fala de estrutura do concurso

Bruno Malheiros confirmou também que a estrutura do concurso será a mesma dos últimos. Os candidatos farão, portanto, uma prova objetiva. Para analista censitário e agentes censitário regional ou administrativo, as disciplinas costumam ser Português, Noções de Administração e Situações Gerenciais, Raciocínio Lógico e Conhecimentos Específicos. Já para agentes censitário municipal, supervisor e de informática, as questões deverão ser sobre Português, Raciocínio Lógico, Noções de Administração, Conhecimentos Técnicos e Noções de Informática. Para recenseador, deverão ser 50 itens de Português (dez), Matemática (dez), Conhecimentos Gerais (dez) e Conhecimentos Técnicos (20).

O coordenador de RH revelou ainda que, após o cancelamento do concurso para o censo, em 2015, por cortes no orçamento, foi rescindido o contrato com a Fundação Cesgranrio, organizadora escolhida à época para ficar à frente do concurso. O nome da instituição que receberá as inscrições e aplicará as provas poderá, então, ser outro. Bruno Malheiros destacou ainda que a oferta do concurso deverá ser inferior às 82.050 vagas. “Quem define o número de vagas é a área técnica, o que está sendo estudado. O próximo passo será definir esse quantitativo e formalizar o pedido ao Ministério do Planejamento. Certamente, o número será expressivo.” Malheiros justificou porque as vagas serão concentradas em um edital. “No concurso cancelado, teríamos três editais porque eram três previsões de admissão. Como agora há uma previsão, deverá ser um edital.”

Fonte: Folha Dirigida
Tags:

Mensagem enviada com sucesso