>

06/12/2017

TRE/RN: concurso previsto para primeiro semestre

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN) pretende realizar novo concurso público no decorrer de 2018, provavelmente ainda no primeiro semestre. A seleção, que vem sendo anunciada desde 2015, já contava, inclusive, com dotação no orçamento de 2017. Porém, acabou sendo postergada para o próximo ano, em decorrência de restrição de gastos, de acordo com informações obtidas junto ao setor de seleção do órgão.

Como já havia sido anunciado na autorização de 2015, o concurso será para os cargos de técnico e analista judiciário.

Para concorrer a técnico é necessário possuir ensino médio e para analistas, nível superior.As remunerações iniciais são de R$ 7.601,10 para técnicos, já considerando gratificação e ajuda de custos, e R$ 11.904,90 para analistas, ambos com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Vale lembrar que os servidores do judiciário federal contam com um reajuste de 41,47%, estipulado pela lei 13.317, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016. O reajuste foi escalonado em oito parcelas, das quais as cinco primeiras já foram concedidas. As três restantes passarão a valer, respectivamente, em 1º de junho de 2018, 1º de novembro de 2018 e 1ºde janeiro de 2019.

Sendo assim, os salários dos técnicos, já considerando o atual valor do vale-alimentação, passarão a ser, respectivamente, R$ 7.887,24; R$ 8.178,65; e R$ 8.475,36. Para os analistas,as remunerações vão para R$ 12.274,34; R$12.852,49; e R$ 13.339,30.

Último concurso
A seleção anterior do órgão ocorreu em 2010, com oferta de duas vagas, sendo uma de técnico e uma de analista, além de formar cadastro reserva de pessoal. A vaga imediata de técnico foi para a área administrativa, com formação de cadastro para as áreas de apoio especializado – especialidade programação de sistemas, enfermagem e higiene dental.

No caso de analistas, a oferta imediata também foi para a área administrativa, com cadastro para as áreas judiciária, administrativa –especialidade contabilidade, especialidade análise de sistemas,especialidade engenharia civil, especialidade medicina, especialidade odontologia e especialidade biblioteconomia.

A organizadora foi a Fundação Carlos Chagas.

As provas objetivas foram compostas de 60 questões, sendo 20 de conhecimentos gerais, com peso um, e 40 de conhecimentos específicos,com peso três. Para analistas nas áreas judiciária e administrativa, bem como para técnico, na área administrativa, também foi aplicada uma redação, com peso dois.

Fonte: JC Concursos
Tags:

Mensagem enviada com sucesso