>

03/01/2017

IBGE: novo concurso já é dado como inevitável.

Há três fatores que tornam o concurso IBGE 2017, para 82.050 vagas temporárias, inevitável. O primeiro é que as vagas e o seu objetivo, o Censo Agropecuário, estão no orçamento do governo federal, já aprovado. O segundo é que a seleção e a pesquisa são prioridades do presidente do IBGE, Paulo Rabello de Castro. O terceiro é que o Censo Agropecuário, cuja realização está prevista em lei, não acontece desde 2006.

Após o Congresso Nacional ter aprovado o orçamento, no dia 15 de dezembro, faltam agora a sanção do presidente Michel Temer e o encaminhamento ao Ministério do Planejamento, por parte do IBGE, do pedido das vagas para o concurso. O aval do Planejamento não deverá demorar, já que o Censo Agropecuário é uma das prioridades para este ano. As oportunidades serão para todos os níveis de escolaridade. Principalmente desempregados e jovens devem atentar para essa seleção. Das 82.050 vagas temporárias, 62.400 serão para recenseador, cargo que exige nível fundamental. Os ganhos podem chegar a R$3 mil.

No nível médio, estão previstas 12.540 vagas para agente censitário supervisor, 5.500 para agente censitário municipal (R$2 mil), 700 para agente censitário administrativo (R$2.018) e 486 para agente censitário regional (exigência de carteira de habilitação; R$ 3.458). Haverá ainda 174 vagas de agente censitário de informática, mas a função será aberta a quem possui o nível médio/técnico). No superior estão previstas 250 vagas de analista censitário, que tem remuneração de R$ 7.624.

infografico-ibge-vagas_desktop_1

Além dos salários, os temporários têm direito ainda a férias remuneradas e 13º salário, além de auxílio-alimentação de R$ 458 (já somado nas remunerações mencionadas). As vagas vão ser distribuídas por todos os estados, além do Distrito Federal. As 82.050 vagas deverão ser divididas em três editais, seguindo o planejamento inicial do IBGE, divulgado no ano passado, quando iria realizar esse concurso. Por cortes no orçamento, a seleção acabou sendo cancelada (só um edital chegou a ser divulgado).

Seguindo esse planejamento, o primeiro edital traria 1.436 vagas (250 de analista censitário, 486 de agente censitário regional e 700 de agente censitário administrativo). Em seguida, sairia o edital com 18.214 vagas (5.500 de agente censitário municipal, 12.540 de´agente censitário supervisor e 174 de agente censitário de informática). Por fim, sairia o edital com 62.400 vagas de recenseador.

Fonte: Folha Dirigida
Tags:

Mensagem enviada com sucesso