>

11/09/2020

IBGE: AUTORIZADAS 6.500 VAGAS TEMPORÁRIAS. NÍVEIS MÉDIO E SUPERIOR

Os candidatos interessados na abertura de algum concurso IBGE (seleção simplificada para temporários) ganharam na sexta, dia 11 de setembro de 2020, uma excelente notícia: saiu a portaria ministerial nº 20.388/2020 autorizando a abertura de 6.500 novas vagas temporárias!

De acordo com o documento do Ministério da Economia, esses servidores serão contratados a partir de janeiro de 2021 para “operacionalização das pesquisas permanentes de natureza estatística e geocientífica do IBGE”.

Portanto, bem antes do prazo final da portaria (seis meses contados a partir de 11 de setembro de 2020) deverá ser lançado o edital.

O documento definirá todos os detalhes importantes ainda desconhecidos, tais como as datas de inscrição, forma de seleção, remuneração e outros itens.

Concurso IBGE: 6.500 vagas autorizadas

O quantitativo de vagas do concurso IBGE, com oferta de 6.500 vagas temporárias, será distribuído da seguinte forma:

  • Agente de Pesquisa e Mapeamento: 5.623 vagas;
  • Supervisor de Coleta e Qualidade: 552 vagas;
  • Agente de Pesquisas por Telefone: 300 vagas;
  • Supervisor de Pesquisas: 25 vagas.

Para ter acesso à portaria completa, clique na edição de 11 de setembro de 2020 do Diário Oficial da União.

Veja a seguir os desdobramentos de outras seleções previstas para o IBGE.

Concurso IBGE 2021 para o Censo Demográfico confirmado

Mas você deve estar se perguntando: e quanto ao concurso IBGE para o Censo Demográfico, o que há de novidade?

Segundo o Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) para 2021, que já foi encaminhado ao Congresso Nacional no dia 31 de agosto de 2020, ficou mantida a previsão de que a seleção para o Censo populacional aconteça mesmo em 2021, com o orçamento provável de R$ 2 bilhões.

Para quem não se lembra, o processo seletivo do IBGE aconteceria em 2020, mas foi adiado devido à pandemia do novo coronavírus.

O governo federal chegou a cogitar que deixaria o Censo para o ano de 2022. A ideia do governo era de que recursos que seriam destinados ao Censo passassem para outras políticas públicas, entre elas um reforço no orçamento do Ministério da Defesa.

Entenda o cancelamento do concurso IBGE 2020 para o Censo

Em março de 2020, a suspensão do concurso IBGE foi anunciada, de acordo com o próprio Instituto, “em função das orientações do Ministério da Saúde relacionadas ao quadro de emergência de saúde pública causado pela disseminação da COVID-19”.

Também foram adiadas as convocações para o pessoal que iria fazer o Teste de Homologação dos Equipamentos e Sistemas para o Censo, conforme comunicado divulgado em 1º de abril de 2020.

Até mesmo a coleta presencial da PNAD, um indicador importante para diagnosticar o desemprego no país e fundamentar políticas públicas, vêm sendo feita por telefone.

Na programação inicial dada pelo IBGE, o próximo Censo Demográfico estaria previsto para ser iniciado em 31 de julho de 2021. A fase específica para a coleta das informações, por sua vez, provavelmente deveria acontecer de 1º de agosto a 31 de outubro de 2021.

O IBGE considerou que a atividade de pesquisa é basicamente domiciliar e presencial, “com estimativa de visitas de mais de 180 mil recenseadores a cerca de 71 milhões de domicílios em todo o território nacional”.

Além disso, se viu impossibilitada de realizar todo o treinamento dos supervisores e recenseadores para a operação censitária.

Com o agravamento da situação de emergência na saúde pública (COVID-19), não haveria tempo hábil para começar esse processo, que teria a primeira etapa iniciada em abril de 2020.

A nota do IBGE sobre o cancelamento esclareceu ainda que foi firmado um compromisso com o Ministério da Saúde para que o orçamento do Censo 2020 fosse transferido para a promoção de “ações de enfrentamento ao coronavírus”.

Mas, para o ano de 2021, o Ministério da Saúde assegurou que realocaria “orçamento no mesmo montante com vistas à assegurar a realização do Censo pelo IBGE”.

Concurso IBGE para o Censo: taxas já foram devolvidas

Os candidatos tiveram até dia 10 de agosto de 2020 para fazer o pedido. Quem perdeu o prazo para solicitar o reembolso da taxa de inscrição do concurso IBGE teve que aguardar até dia 17 de agosto, data na qual o IBGE divulgaria outra maneira de o candidato pedir a devolução.

O valor a ser restituído aos candidatos foi da ordem de R$ 2.823.775,95, somatório correspondente aos 100.735 pagantes inscritos.

A taxa paga foi de R$ 23,61 ou R$ 35,80, conforme a função pretendida. As inscrições estavam sendo processadas pelas páginas que o Cebraspe.

Aqueles que se inscreveram para mais de um cargo (ou seja, pagaram duas taxas) receberão tudo de uma só vez.

Concurso IBGE para o Censo seria para preencher 208.695 vagas

Os dois editais do concurso IBGE publicados (nº 2/2020 e 3/2020) ofertavam um total de 208.695 vagas para suprir as demandas do Censo Demográfico. A distribuição das vagas do processo de seleção simplificada seria a seguinte:

  • 5.462 vagas para a função de Agente Censitário Municipal (ACM);
  • 22.676 vagas para Agente Censitário Supervisor (ACS); e
  • 180.557 vagas para Recenseador.

Ainda não há uma posição exata do IBGE sobre se o quantitativo ofertado prosseguirá sendo o mesmo em 2021 (ou agora em 2022). Resta-nos aguardar as informações oficiais.

Confira na sequência todos os outros detalhes sobre o processo seletivo do IBGE e não descuide da sua preparação.

Concurso IBGE para o Censo: Recenseador

O edital 3/2020 do concurso IBGE com vagas temporárias previa que o requisito de escolaridade para disputar cada uma das 180.557 vagas na função de Recenseador é o ensino fundamental completo.

Dentre as diversas atribuições que esses servidores temporários terão, as principais são: manusear o serviço de mensagens do dispositivo móvel de coleta; apresentar-se ao informante com o uniforme e o crachá de identificação fornecido pelo IBGE; coletar as informações do Censo Demográfico 2020 em todos os domicílios do setor censitário que lhe foi atribuído; e manter o sigilo dos dados emitidos pelo informante, além de consultar relatórios diversos de acompanhamento de coleta.

A remuneração será por produção, calculada por setor censitário de unidades recenseadas (domicílios urbanos e/ou rurais), pelo tipo de questionário e pelas pessoas recenseadas e registro no controle da coleta de dados.

A jornada de trabalho será de pelo menos 25 horas semanais, sem contar a participação integral e obrigatória no Treinamento. O contrato deve durar até três meses, podendo ser prorrogado.

Concurso IBGE para o Censo: Agente Censitário Municipal e Agente Censitário Supervisor

Ambas as funções, segundo o edital 2/2020 do concurso IBGE, requerem o ensino médio completo. A remuneração mensal para Agente Censitário Municipal é de R$ R$ 2.100,00, com jornada de 40 horas por semana, enquanto que para Agente Censitário Superior é de R$ 1.700,00, com a mesma carga horária.

Agentes Censitários Municipais desenvolvem uma série de tarefas, entre elas: acompanhar as atividades da coleta de dados; acompanhar o Agente Censitário Supervisor no início da coleta da pesquisa urbanística; equipar, administrar, organizar e zelar pelo Posto de Coleta; acompanhar o registro de frequência dos Agentes Censitários Supervisores; divulgar o Censo em toda sua área de atuação; e manter organizada toda a documentação administrativa.

Já os Agentes Censitários Supervisores, entre diversas outras atribuições que possuem, ainda realizam: acompanhamento dos recenseadores em campo para esclarecimento de dúvidas; adotam as providências relativas à contratação, prorrogação de contratos e desligamento de Recenseadores; e auxiliam os Recenseadores na solução dos casos de recusa ou resistência de informantes em atendê-los.

Esses contratados terão vínculo com o IBGE por até cinco meses, podendo ser prorrogado, de acordo com as necessidades do órgão.

Fonte: Concursos no Brasil
Tags:

Mensagem enviada com sucesso